Backup: antes que seja tarde

Backup: antes que seja tarde

Cada vez mais carregamos “nossa vida” em nossos dispositivos, seja notebooks  ou celulares. Muitos clientes me procuram desesperados e em muitas das vezes perderam realmente suas fotos de viagem, planilhas de trabalho, emails com pedidos, tcc da faculdade, etc, pois não têm o hábito ou desconhecem como fazer o backup. Abaixo indico as 3 principais opções, suas vantagens e desvantagens:

  • 1. Pen drive
    Prós:
    Portátil.
    Barato.
    Pode facilmente transferir dados a outras fontes.
    Contras:
    São pequenos e fáceis de perder.
    Problemas de leitura/gravação e capacidade limitada.
    Entrada de vírus/Malware.
  • 2. HD externo
    Prós:
    Relativamente barato
    Alta capacidade de armazenamento.
    Contras:
    Vulnerável  a quedas e perda de arquivos.
    Entrada de vírus/Malware.
  • 3. Nuvem
    Prós:
    Pode ser feito automaticamente.
    Acesso de qualquer lugar ou dispositivo.
    Espaço gratuito considerável.
    Várias opções como iCloud, Dropbox, Google Drive e OneDrive.
    Contras:
    Requer uma conexão à internet para sincronizar o backup.
    Podem existir falhas de segurança.

SSD x HDD: a escolha é sua

SSD – solid state drive x HDD – hard disk drive

  • Capacidade
    Os HDs são conhecidos pela sua alta capacidade de armazenamento. É fácil encontrar discos rígidos com 1000, 2000 e até 4000 GB de armazenamento. O melhor disso tudo é que os preços não sobem muito à medida que você escolhe HDs com capacidades maiores. Os discos rígidos possuem o menor custo x benefício por MB dentre as unidades de armazenamento.
    Já os SSDs têm nesse quesito sua principal desvantagem. O custo por MB é bastante elevado. Geralmente, SSDs de 240 GB custam o equivalente a um HDD de 2000 GB, por exemplo, mas se você guarda muitos arquivos de vídeos ou fotos de alta resolução, SSD não dá nem pra começar.
    Portanto, se você quiser um computador com amplo espaço de armazenamento, a compra de um HDD é a mais recomendada.
  • Velocidade
    Os SSDs não possuem partes móveis, são apenas memórias flashs, que são muito mais rápidas. Os HDs utilizam discos magnéticos para leitura e gravação dos dados. Esses dados são acessados através de um braço mecânico com uma agulha magnética que precisa percorrer todo o disco em busca dos arquivos. Se o HD estiver desfragmentado a situação piora, pois o braço mecânica terá que dar mais voltas no prato magnético em busca de todas as partes daquele arquivo.
    Já nos SSDs, como não possui partes móveis e todos os arquivos estão guardados em módulos de memória flash, é muito mais rápido acessar um dado ou inicializar um programa ou o próprio sistema operacional.
    Portanto, se você quer deixar o seu computador mais rápido, o melhor a ser feito é trocar o seu HDD por um SSD. A diferença de velocidade será notável.
  • Considerações
    A popularidade e custo cada vez mais baixo do armazenamento em nuvem estão equilibrando o quesito capacidade.
    Por outro lado, se você está pensando em montar um computador que dure muito tempo e que os arquivos não se percam, você deve optar por um disco rígido. Os dados salvos num HD duram muito mais tempo que os salvos num SSD.
    Os discos de estado sólido possuem um número limitado de escritas em seus blocos de memória. Na prática, é bem complexo determinar o tempo de vida útil de um SSD mas, em geral, eles duram bem menos que um disco rígido.
    Uma vantagem dos SSDs é que eles podem ser usados em dispositivos extremamente finos. Os ultrabooks, por exemplo, além disso, SSDs não emitem ruído algum. Isso contribui para a fabricação de dispositivos mais silenciosos e potentes.
    O solução ideal seria, a instalação de uma unidade SSD de 120 ou 240 GB para o sistema operacional e aplicativos, e uma secundaria de 1000 ou 2000 GB para arquivos.