Sequestro Digital: como evitar

Sequestro Digital: como evitar

O escritório de crimes virtuais do serviço de Inteligência dos Estados Unidos emitiu, no início de abril, uma nota sobre o ransomware SAMAS, um vírus capaz de criptografar e “sequestrar” arquivos de computadores ao redor do mundo.
O ataque não é notado até que o usuário tente acessar os dados (que podem ser documentos, vídeos, imagens), quando o malware informa que os arquivos foram codificados e só serão liberados mediante pagamento via moedas virtuais (bitcoins).

Para evitar este prejuízo, o ideal é possuir ao menos dois backups, um em nuvem e outro em um dispositivo físico como HD externo ou pen drive. Os hackers mascaram os vírus em e-mails falsos, como promoções de lojas virtuais e comunicados de bancos. Tome cuidado também com mensagens de amigos e familiares que não fazem sentido, eles podem ter sido alvo de ataques virtuais.

Atenção ao nome dos arquivos, vírus costumam ter extensões específicas (as três letras finais que vêm após o nome do documento). Fique atento a .EXE, .vbs e .SCR, que são as mais utilizadas pelos cibercriminosos. Para facilitar, habilite a opção de “mostrar a extensão de arquivos” em seu sistema operacional.
Atualize regularmente seu sistema operacional, navegador e outros programas. Sempre recomendei o o Kaspersky Internet Security, que além de prevenir o usuário de infecções, conta também com o System Watcher. Este módulo rastreia informações relacionadas com a criação e modificação de arquivos e identifica alterações do sistema e transferências de dados pela rede.